top of page

Uma oportunidade de ajudar

O Pedro e eu tivemos a oportunidade de trazer quatro gatinhos abandonados para casa. Na esperança de encontrar~lhes lares para sempre. Não foi algo que eu tive que pensar. Era uma certeza absoluta. Eu não os deixaria onde os encontramos. Como poderia eu? O que é que isso faria de mim? Quatro bebés, não importa se humanos ou não humanos.

Apelei a todas as pessoas que conhecia, inclusive associações, sem sucesso. Postei no OLX informando que os gatinhos teriam que ser adoptados em pares, pares estabelecidos por eles mesmos. Encontrámos dois dos gatinhos no final da noite e dois na manhã seguinte, seguindo a intuição do Pedro de que havia mais, e eles têm um vínculo forte. Por que quebrá~lo? Fiquei surpresa que as pessoas me mandaram mensagens tentando adoptar apenas um, tentando separar os gatinhos, supostamente porque eles só podiam ter um. Eu respondi que não é ético manter um animal solitário. Que os nossos caprichos e egoísmo criam tanto sofrimento. Sim, um lar para um é melhor do que nenhum lar, mas não podemos ir além dessa visão de funil? Eles podem estar contentes sem outros animais, mas o que sabemos? Não podemos cuidar deles além das nossas limitações? Para além do que foi feito e está estabelecido e movermo~nos para o que podemos fazer melhor? Além da ideia de que “ele era feliz só comigo”? Porque quando as pessoas vão trabalhar e um animal fica sozinho num apartamento (ambiente artificial) por horas a fio, o que pode o animal fazer? Sem companhia e estímulo? Especialmente gatinhos que brincam sem parar com os seus maninhos….O que eles sentem é importante. As necessidades deles são importantes.

Estou atordoada com a apatia. Atordoada com o egoísmo. Mas não posso perder a fé, porque não podemos mantê~los. Temos quatro gatas adultas e uma delas está grávida, trouxemo~la para casa por ter sido também abandonada.

Bênçãos caem sobre aqueles que fazem o bem. Tenho a certeza disso. E embora eu me sinta abençoada por cuidar destes quatro pequenos e alegres seres, precisamos encontrar bons lares para eles.


Por favor ajudem~nos.

~~ Ana~~





An opportunity to help

Pedro and i were given the opportunity to bring four abandoned kittens home. In the hope to find them forever homes. It was not something I had to think about. It was an absolute certainty. I would not leave them where we found them. How could i? What would that make of me? Four babies, matter not if human or non human.

I appealed to everyone I knew, associations inclusive to no avail. I posted on OLX stating that the kittens would have to be homed in pairs, pairs established by themselves. We found two of the kittens late in the evening, and two in the morning following Pedro’s intuition that there were more, and they have a strong bond. Why break it? I was surprised that people messaged me trying to adopt only one, trying to separate the kittens, allegedly because they could only have one. I told them that it is unethical to keep a lonely animal. That our whims and selfishness create so much suffering. Yes, a home to one is better than no home, but can’t we move past that funnel vision? They may be content without other animals but what do we know? Can’t we care for them beyond our limitations? Beyond what has been done, what is established, and move towards what we can do better? Beyond the idea that “he was happy just with me”? Because when people go to work and an animal is alone in a flat (artificial environment) for hours on end, what is the animal to do? Without company and stimulus? Specially kittens who play endlessly with their siblings….what they feel is important. Their needs are important.

I am stunned by the apathy. Stunned by the selfishness. But I cannot lose faith, because we cannot keep them. We have 4 adult cats and one of them is pregnant, we brought her home as she too, was abandoned.

Blessings befall on those who do good. I am certain of that. And whilst I feel blessed for caring for those four little joyful beings, we need to find them good homes.

Please help us.

~~ Ana~~

Commentaires


bottom of page