top of page

The forgotten treasure

We are prone to respond to stimulus. And in this context, we dwell for most of our lifetime in environments that are constantly appealing to our senses. Images and sounds from all corners. It is rare for some of us to find the time and the space to be still. Without interference. And some of those who may have the time and the space at their disposal, may lack the awareness of how treasurable it is to indulge in that forgotten treasure ~ the stillness of silence.

Not only is silence nourishing as it compels us to connect to deeper parts of ourselves, as it offers us a bed of contentment with the present moment. We breathe in its magic, and breathe out our stresses, all the bottled up concerns. When we surrender to silence and its stillness, we may uncover so much beauty, so much resolution, so much peace.

We ought to draw a map that will lead us to dig out that forgotten treasure more often than not.

~~ Ana~~



O tesouro esquecido

Somos propensos a responder a estímulos. E neste contexto, habitamos a maior parte da nossa vida em ambientes que apelam constantemente aos nossos sentidos. Imagens e sons de todos os cantos. É raro para alguns de nós encontrar tempo e espaço para ficarmos quietos. Sem interferência. E alguns daqueles que podem ter o tempo e o espaço à sua disposição, podem não ter a consciência de quão valioso é entregarmo~nos a esse tesouro esquecido ~ a quietude do silêncio.

O silêncio não é apenas nutritivo, pois obriga~nos a nos conectarmos com partes mais profundas de nós mesmos, como nos oferece um leito de contentamento com o momento presente. Inspiramos a sua magia e exalamos os nosso stresses, todas as preocupações reprimidas. Quando nos rendemos ao silêncio e à sua quietude, podemos descobrir tanta beleza, tanta resolução, tanta paz.

Devemos desenhar um mapa que nos leve a desenterrar esse tesouro esquecido com mais frequência.

~~Ana~~

Comments


bottom of page